segunda-feira, 29 de abril de 2013

MESTE ZÉ


.
Rui Verde, ex-Vice-Reitor da Universidade Independente, apontado pelo Ministério Público como responsável pela falência daquele escola de elite—uma perda europeia, para não dizer galáctica—vem agora pedir à Justiça a anulação da licenciatura do "engenheiro" José Sócrates de Carvalho Pinto de Sousa, também conhecido no bas-fond por Zezito, para que haja tratamento igual ao de Relvas.
Há quem rejubile com coisas destas, quando elas acontecem com tal personagem. Porquê? Porque, só de ouvir a voz do cavalheiro ficam com um ataque de nervos.
Tal atitude é irracional por dela decorrer o pressuposto que é necessária alguma coisa mais para reduzir o prestígio da figura a valores próximos do zero absoluto—recordando que este corresponde a -273,15 graus na escala de Celsius, a mais baixa temperatura tecnicamente alcançável e à qual cessa toda a entropia. Não vale a pena gastar mais bateria a congelar o espécimen.
Sobretudo porque tal individualidade frequenta actualmente um curso, que ainda ninguém percebeu muito bem o que é, no Institut de Sciences Politiques de Paris, ou Siences Po, e é exactamente a ciência Popó que o ocupa. O homem vai às aulas—se vai—e deve dar voltas à cabeça a tentar perceber de que estão a falar os professores. Não entende o que dizem, mas esse é o problema minor. O problema real é não entender sequer a que propósito vem aquela conversa.
Li vagamente algures que não faz avaliações. Como foi Primeiro-Ministro du Portugal, deve ter equivalências dadas pelo Sience Po. E, não tarda, aparece aí com um documento passado pelo porteiro da instituição atestando que frequentou com assiduidade o Institut e será Meste Zé, como o do Guincho.  ... Eh... Eh... Eh...
.

Sem comentários:

Publicar um comentário