quarta-feira, 24 de abril de 2013

OBSCURANTISMO

.

O que se vêm em cima é o planeta Terra, segundo a Sociedade da Terra Plana, de cujo site foi tirada a imagem. A terra, como se vê, é um disco voador, com duas superfícies e um bordo circular. A face superior, a conhecida, está representada na figura: no centro situa-se o Polo Norte, depois seguem-se os continentes e oceanos e, na periferia—a área clara no desenho—é a Região Antárctica, a que chamamos Polo Sul, coisa existente apenas na nossa imaginação. A região referida é uma barreira gelada que contém os oceanos e impede que sejam derramados para fora da Terra. Para além dessa barreira, ninguém sabe o que existe pela singela razão que nunca alguém lá foi e voltou para contar.
O Equador corresponde a uma circunferência concêntrica com o limite da Terra e que passa pela meia distância entre o centro (Polo Norte) e a periferia (Região Antárctica). Está desenhado toscamente a vermelho, mas fui eu que o fiz—é da minha responsabilidade e espero não ser accionado judicialmente por o ter feito.
O Sol circula em volta do Polo Norte e, quando está para dentro do Equador, é Verão no Norte e Inverno no Sul. Quando circula fora do Equador, verifica-se o contrário (Figura ao lado). Quando está em cima da nossa cabeça é dia, quando vai para o outro lado é noite. Porquê? Porque funciona como uma spot-light, ou um desses projectores dos teatros, ou dos circos. A circum-navegação consiste numa volta em roda do Polo Norte. A conversa da NASA é tudo mentira. Blá, blá, blá.
Há quem acredite nisto e fale na matéria com cara séria—é verdade (veja aqui). A "Flat Earth Society" foi fundada em 1800 na Inglaterra e funciona agora nos Estados Unidos. Suspeito que a Senhora Sarah Palin deve pertencer à associação.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário