sábado, 27 de abril de 2013

O LEÃO E O BURRO

.

Há motores de cilindros em “V” e há políticos de beiçola em “V”―um desses políticos falou hoje no Congresso do PS e atirou-se a Cavaco. E que disse o beiçola em “V”? Disse que Cavaco já não é Presidente da República (tomara que fosse verdade!) e que Cavaco não protegeu o Zezito quando este se estampou na Assembleia da República com um Orçamento do Estado do género “Deus me livre”, que o beiçola em “V” achava muito bom, pois era cúmplice de toda a cavalada feita até aí no consulado socrático.
Cavaco é nabo, mas só um cego não via o comportamento delirante daquele Governo, cujo chefe, na véspera do Ministro das Finanças pedir ajuda financeira internacional à sua revelia, ainda falava na terceira travessia do Tejo, no Aeroporto de Alcochete, no TGV Lisboa-Madrid, blá, blá, blá. Era de pesadelo aquilo!
E o beiçola em “V” sai agora a vomitar bílis sobre Cavaco cuja única obra louvável até à data foi abrir a posta da saída ao Zezito, ao beiçola em “V” e demais correlativos. É a vingança do recalcado, o coice do burro no leão moribundo. Parafraseando um notório “fassista”, o leão está moribundo mas não morre, embora a gente não almoce; e o burro está cada vez mais burro.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário