quinta-feira, 20 de junho de 2013

AMOR AO SERVIÇO PÚBLICO

.
Fernando Seara, presidente de câmara profissional e comentador desportivo  nas horas vagas, depois de ter comandado a nave Sintra durante três mandatos, está a preparar-se para afiambrar a nave Lisboa. Mas há por aí uma peste chamada Revolução Branca, apostada em arruinar as carreiras dos autarcas profissionais, na sequência do que Seara começou a patinar depois do Tribunal Cível de Lisboa ter dito que Seara não é elegível.
Com voluntarismo, recorreu para o Tribunal da Relação, de peito feito e sessão de anúncio da candidatura marcada para amanhã, no Padrão dos Descobrimentos. Mas o evento será um tiro de pólvora seca, pois o Tribunal de segunda instância disse hoje que Seara não pode andar a saltar de câmara em câmara—...eh...eh...eh...
É pena porque Seara é um grande autarca, dizem os comentadores populares nas caixas respectivas das notícias dos jornais. Das dezenas de quilómetros de ciclovia que prometeu fazer em Sintra, felizmente fez umas dezenas de centímetros apenas; a ponte de Queluz cai aos bocados; e das piscinas prometidas, Graças a Deus, parece que não fez nenhuma.
Mas Seara vai recorrer para o Tribunal Constitucional. Na realidade, é uma incógnita, eventualmente para quase toda a gente, porque se encarniçam tanto as pessoas para serem presidentes de câmara—deve ser amor ao Serviço Público. Só pode ser.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário